English中文DeutschEspañolFrançaisItaliano日本語한국어 ру́сскийNederlands

Você conhece essa situação: seu hóspede acabou de chegar fadigado pela diferença do fuso e você não tem certeza como se comunicar por não falarem o mesmo idioma. Talvez você esteja lá para recebê-lo pessoalmente, ou talvez ele esteja seguindo suas instruções para encontrar a chave debaixo do gnomo no jardim. A viagem foi longa até chegar à sua porta. Você pensou adiante e considerou o que pode dar um ar acolhedor a esse lugar longe de casa? Bem, muitos de vocês certamente fizeram isso! E estamos muito animados de poder compartilhar muitas de suas ideias incríveis com todo mundo.

Adote uma atitude curiosa e paciente

Ter a mente aberta — e até mesmo ter um espírito mais brincalhão — pode tornar os elementos desconhecidos de receber hóspedes internacionais menos intimidadores.

  • Tenha a mente aberta. Você precisa entender que somos todos diferente e que não somos o centro do mundo. Imagine como você se sentiria em outro país! Se você ver coisas que não entende e achar que são consequência de costumes diferentes, pergunte, converse e demonstre interesse nos costumes do seu hóspede. Muitos hóspedes adoram explicar sua cultura! — Michael, México
  • Muitas vezes eu converso com hóspedes estrangeiros sobre as diferenças entre nossos hábitos e comportamentos, comparando modos de falar, provérbios e gestos, o que às vezes é muito divertido. — Lisa, Alemanha
  • Seja firme, porém flexível, e não se irrite com coisas pequenas. — Kim e Jen, Noruega
  • Eu acho que ser eu mesma e agir de uma forma mais pessoal ao recebê-los ou conhecê-los é essencial para uma estadia agradável tanto para mim quando para os hóspedes. — Mariann, Noruega
  • Não tenha medo se as pessoas chegarem falando outra língua… Isso não costuma gerar problemas e pode ser divertido tentar se comunicar com alguém que não fala a mesma língua. — Michael, México

Supere as barreiras de idioma

Olhos nos olhos, linguagem corporal e tentativas de encontrar coisas em comum pode promover compreensão. Alguns anfitriões tentam aprender vários idiomas para poderem conversar com seus hóspedes, mas há muitas maneiras interessantes de se comunicar, mesmo que você não seja poliglota.

  • Receber seus hóspedes com um sorriso já é meio caminho andado. Eu falo inglês e espanhol, o que facilita muito a minha vida, mesmo que eu tenha alguma dificuldade com certos sotaques. De qualquer forma, o Google Tradutor é meu amigo. A maioria dos meus hóspedes são estrangeiros e falam pelo menos um desses dois idiomas. E eles adoram conversar em francês quando possível. — Sylvie, República Dominicana
  • Eu me esforço muito para escrever corretamente e usar um inglês mais simples nas mensagens. Às vezes é difícil. Nada de abreviações como “c u soon” (até logo) ou “thx” (obrigado). E não consigo nem imaginar como o Google traduz palavras escritas errado! Eu também faço de tudo para não presumir normas e práticas culturais. O que é bem difícil. Uma coisa divertida que eu faço é criar ícones para as instruções da casa, ao invés de usar palavras. O Google Imagens é ótimo para isso. — Paul, Washington, Estados Unidos
  • Eu sei cumprimentar as pessoas em vários idiomas, incluindo japonês, coreano, árabe, russo, sueco, francês, alemão, híndi, tailandês, etc. Além disso, sei cantar em árabe e urdu. Cantar na língua deles cria rapidamente uma conexão muito mais profunda com eles! — Huai-Dhawa, Canadá
  • Eu uso o aplicatico Itranslate. Ele grava o que você fala e faz a tradução tranquilamente de qualquer idioma para qualquer idioma. — Omri, Israel
  • Tenho um pequeno livro que eu AMO e que já me salvou várias vezes! Ele se chama Point It. — Priscilla, Brasil
  • Sorrir, acenar, apontar! Dizer Aha! e Oho! e sorrir ainda mais. Sempre torcendo para que a linguagem de sinais improvisada que acabamos de inventar juntos tenha o resultado esperado. — Sandra, Austrália
  • Por ser uma ferramenta de comunicação importante, estou sempre melhorando o meu inglês. Conhecer idiomas estrangeiros ou ter a disposição de se comunicar através de muitos gestos é claramente o PRINCIPAL pré-requisito para receber hóspedes internacionais. — Angelina, Alemanha

Crie uma recepção acolhedora

A chegada do hóspede é um momento tão importante que temos uma categoria dos Host Awards em cada Airbnb Open dedicada a celebrar os anfitriões que se destacam nisso. As primeiras impressões podem amenizar a ansiedade e ajudar um viajante cansado a sentir como se estivesse chegando em casa, mesmo que seja só por uma noite.

  • Quando meus hóspedes chegam, sempre tenho coisas para eles lerem sobre São Paulo, além de sempre ter uma mensagem pessoal e algo escrito na língua deles. — Priscilla+Gabriel, Brasil
  • Uma das melhores dicas que possa oferecer aos outros anfitriões é de buscar seus hóspedes no aeroporto e levá-los à sua acomodação. Essa é sempre a melhor maneira de criar uma conexão e um vínculo com seu hóspede antes de chegarem à propriedade e fará com que o hóspede se sinta mais relaxado e sem estresse por ter a certeza de que chegará no endereço correto. Outra vantagem de fazer isso é que você pode ganhar um dinheirinho extra ao cobrar do hóspede pelo traslado. Isso é sem dúvida uma situação onde todos saem ganhando!!! — Oomesh Kumarsingh, Maurício
  • Minha filha faz um cartaz de boas-vindas no idioma do hóspede e em havaiano usando os nomes dos hóspedes. Isso os deixa tão felizes que eles sempre tiram fotos segurando o cartaz. — Momi, Havaí, EUA
  • Eu uso uma rádio online, e toda vez que há hóspedes chegando de outra cidade ou país, eu sintonizo em alguma estação do seu país e deixo tocando para quando chegarem. — Beth, Arizona, EUA
  • Colocamos o livro When in Germany: Do as the Germans do (Uma Vez na Alemanha, Faça Como os Alemães, em tradução livre). Isso ajuda com dúvidas básicas como: devo esperar alguém me indicar uma mesa quando for a um restaurante? — Till e Jutta, Alemanha

Crie Regras da Casa e um guia fáceis de entender

Evite mal-entendidos escrevendo Regras da Casa claras e ajude seus hóspedes a explorar sua cidade com um guia recheado de ideias e sugestões. Conseguir uma versão traduzida de ambos pode ser muito útil!

  • Evolua: toda vez que você receber a visita de um hóspede de outra nacionalidade, adicione uma página ao seu guia no idioma dele. — Michael, México
  • Eu recebo muitos hóspedes da China, e eles são tão incríveis que quero incentivá-los a fazerem reservas comigo. Para conseguir isso, eu paguei para ter uma tradução profissional das minhas Regras da Casa e do resumo do meu Guia da Casa em chinês simplificado para que eles criem expectativas realistas e se sintam acolhidos. Além disso, estou gradualmente reunindo uma coleção de manuais de instrução em vários idiomas para as máquinas da lavanderia e os equipamentos da cozinha — Louise, Austrália

Ajude os hóspedes a terem uma boa estadia com as comodidades e as informações certas

Pode ser desafiador para os hóspedes encontrarem o que precisam, conectarem-se à internet e repor com facilidade produtos de higiene que eles perderam ou esqueceram. Aqui estão algumas sugestões ótimas de anfitriões que sabem como facilitar a vida dos hóspedes para que tenham uma estadia tranquila.

  • Disponibilize adaptadores universais de tomada (isso os ajuda muito) — Alfred, Espanha
  • Coloque todos os equipamentos eletrônicos no idioma do hóspede e deixe guias impressos em inglês dos itens mais básicos da acomodação (internet, cozinha, água quente, chaves lixo, etc.) em locais convenientes. Se possível, use menos textos e mais desenhos e esquemas, e traduza-os se necessário. — Aaron, México
  • Tenha um Wi-Fi bom! Especialmente para seus hóspedes não europeus. Na verdade, seus celulares não necessariamente conseguem se conectar à rede francesa e talvez só funcionem com Wi-Fi. Em comparação a outros países onde há Wi-Fi em todos os lugares, a França não está bem servida nesse aspecto; às vezes pode ser bastante difícil para eles conseguirem se comunicar. — Emmeline, França
  • Para os hóspedes dos EUA, nós mudamos o termostato de Celsius para Fahrenheit. Além disso, escolhemos um programa de TV adequado e disponibilizamos vários adaptadores de tomada no quarto e no banheiro do hóspede. Por fim, explicamos como abrir e fechar as venezianas deslizantes da Alemanha. — Till e Jutta, Alemanha
  • Eu tento me adaptar aos hábitos dos meus hóspedes. Os americanos usam muitos travesseiros, então coloco travesseiros e toalhas adicionais nos armários. Os alemães costumam colocar seus próprios lençóis e até edredons por cima da cama e gostam de dormir na mesma cama, portanto deixo uma coberta extra no armário. Comprei uma cafeteira italiana, uma vez que italianos e até mesmo espanhóis a preferem ao invés da minha cafeteira elétrica. Deixo uma lanchinho na geladeira — ovos e bacon para os americanos e brioches com manteiga para os europeus. Também coloco uma cerveja ou um pouco de rum da região dependendo do meu humor. — Sylvie, República Dominicana
  • Dentre as medidas que tomo para receber hóspedes internacionais, a que eu mais faço questão é de mudar o áudio da TV para inglês caso o conteúdo tenha sido criado nesse idioma, como filmes e séries. — Marc, Espanha
  • Tenho praticamente tudo o que uma pessoa poderia esquecer ou que uma companhia aérea poderia proibir na bagagem de mão: carregadores, cabos, xampu e outros produtos líquidos. Chega a ser engraçado quando alguém pergunta “Você sabe onde posso conseguir um cabo para conectar meu dispositivo?” e respondo “Sim, ali naquela gaveta”, quando na verdade esperavam instruções sobre como chegar numa loja distante Helga, França
  • Ofereça-se para configurar o Uber e a Lyft (aplicativos de compartilhamento de corridas de carro) nos celulares dos hóspedes. — Nina, Califórnia, EUA
  • Eu deixo de tudo na sala: petiscos, escovas de dentes, barrinhas de sabonete, carregadores de celular, um tablet, creme e lâminas de barbear, palitos de dente, pirulitos para tosse, Band-aids, algodão, remédio para resfriado e sal de frutas 😉 gibis divertidos, um cubo mágico, um quebra-cabeças, alguns doces… Também deixo todo tipo de bebida: chá, mate, chocolate quente, café, limonada em pó (normal e sem açúcar)… Além de algumas garrafas de água, é claro. 😉 — Anastasia, Nevada, EUA
  • Uma dica para os meus hóspedes: sempre deixo uma observação na minha carta de boas-vindas explicando que a água em Viena é potável e de qualidade especial. Tenho até um folder explicativo produzido pela cidade de Viena que descobri recentemente. Desde então, dificilmente se vê garrafas de água mineral nos lixos. — Monika e Elisabeth, Áustria

Celebre a sua cidade

Compartilhe o que a sua cidade tem de melhor e não se acanhe de se gabar um pouco! Pode ser um imenso prazer receber hóspedes internacionais já que muitas vezes eles são os que mais se inspiram e se interessam pelos aspectos cotidianos da sua cidade.  

  • Você definitivamente deveria manter uma mente aberta E fazê-los descobrir o estilo de vida francês, e evitar de decorar suas acomodações como os hotéis internacionais com seus padrões internacionais… Criar memórias, dar ideias aos hóspedes e permitir que eles pelo menos descubram o que faz o estilo de vida francês ser um modelo até recentemente é, na minha opinião, uma outra maneira de fazê-los gostar do nosso país e se sentirem acolhidos com alegria. — Olivier, França
  • Ofereça-lhes uma boa garrafa de vinho francês. Afinal, eles estão na França! — Nathalie e Giles, França
  • Minha ideia é a seguinte: para o hóspede que for ficar mais do que 3 dias, você pode deixar um café da manhã típico da região. Como moro na Bahia, Brasil, eu costumo deixar algumas frutas, tapioca ou panquecas e um pouco de chá produzido localmente, já que eu adoraria experimentar as comidas típicas onde quer que eu fosse. Acho que é uma ideia muito boa para aqueles que confiaram em você e escolheram sua casa para ficar. — Josie, Brasil
  • Eu sempre descubro a cor predileta dos meus hóspedes e arranjo um colar de flores havaiano para as mulheres naquela cor… Junto com  um recado no idioma deles dando-lhes as boas-vindas. — Momi, Havaí, EUA
  • Eu ofereço doces típicos da nossa infância a eles… Alguém aceita algumas moon pies? Para os que forem ficar por mais tempo, eu os levo para todos os cantos da cidade, incluindo os restaurantes regionais e internacionais que eles normalmente não encontrariam sozinhos. Além disso, deixo cartões-postais de Nashville com selos e um bilhete ao lado pedindo para eles escreverem para suas mães. — Amy, Tennessee, US

Portanto, o consenso é que uma atitude disposta e curiosa é essencial para contornar as diferenças e que um senso de humor pode transformar desafios inesperados em oportunidades de criar conexões profundas com outras pessoas. Quais são suas melhores dicas? Participe da conversa na Central da Comunidade.