English  Español  中文 —  Deutsch  Français  Italiano — 日本語  한국어  русский  Português  Nederlands

Jan é a anfitriã do Passeio gastronômico em Clement Street no bairro de Inner Richmond em São Francisco. Ela adora misturar sua paixão pela história da cidade e pela gastronomia global com os moradores locais e os viajantes em seu bairro favorito. Com mais de 10 anos de experiência de hospedagem, ela compartilha conosco alguns dos seus truques de como criar uma experiência única, como antecipar as necessidades dos participantes e o que ela aprendeu ao longo do caminho.

O que faz de sua experiência algo unicamente seu? Por que ninguém mais poderia guiar sua experiência?

Bem, o passeio é 100% meu; isso significa que foi uma ideia minha e que reflete minha pesquisa cuidadosa, minha paixão pelo bairro, meus relacionamentos com os donos dos estabelecimentos e meu compromisso de experimentar todos os restaurantes não apenas no meu passeio, mas na rua. Dediquei o passeio ao meu filho, porque o ônibus escolar o deixava no meio da rota do passeio e ele sempre estava morrendo de fome! Minha pesquisa começou 10 anos atrás, enquanto experimentávamos todos os lugares da Clement Street. Nós fomos tão abrangentes que eu ganhei 5 quilos! Foi um trabalho feito de coração.

Outra coisa que levo para o passeio é minha experiência como guia turística em São Francisco por 10 anos; conheço a cidade toda razoavelmente bem, não apenas Clement Street. Posso sugerir outras coisas que os visitantes gostariam, como ver as exposições mais novas no museu de Young ou no museu Legion of Honor, nos quais também sou guia, ou fazer passeios urbanos, como os que eu ofereço. Posso recomendar minhas trilhas de caminhada favoritas em São Francisco, onde eu moro agora, ou em Marin, onde eu morava antes.

Entretanto, acho que o principal fato que torna o passeio tão único é meu foco. Há muitos passeios gastronômicos por aí, mas acredito que o meu é um pouco diferente porque meu objetivo é que os visitantes vivenciem a história através da comida. Comemos muita comida incrível, mas o diferencial é que a comida atua como um catalisador para pensar como o bairro e, por tabela, São Francisco como um tudo, mudou ao longo do tempo e como ainda está mudando.

Como você acomoda as necessidades dos participantes e como você faz com que cada um deles se sinta especial?

Depois de um participante se inscreve, meu primeiro passo é enviar uma mensagem detalhada para descrever a logística e perguntar se ele tem alguma preferência alimentar ou necessidades especiais. É importante para mim que todos possam aproveitar o passeio, por isso eu me adapto às suas necessidades da melhor maneira que posso.

Em suas respostas, os visitantes muitas vezes me informam se é uma ocasião especial ou por que eles escolheram o passeio, o que é muito útil. Quando nos encontramos, começo o passeio fazendo algumas perguntas, o que é um bom para descontrair. É importante para mim saber quais experiências eles já tiveram, para que eu possa avaliar como aproveitar essas informações.

Enquanto caminhamos de um local a outro, faço o meu melhor para conversar com cada participante. Conhecer gente nova é uma das minhas partes favoritas do passeio.

O que você mudou em sua experiência desde que começou?

Mudei alguns dos locais algumas vezes, por várias razões. O maior obstáculo é combinar os horários de funcionamento dos locais com os horários do passeio. Além disso, um passeio gastronômico deve encontrar um equilíbrio; você quer comidas que sejam excitantes, únicas e deliciosas, mas que não sejam muito ameaçadoras ou desafiadoras para ninguém. Você quer ir aos lugares mais agitados, mas também deve incluir pérolas escondidas. Desde que comecei a fazer o passeio, novos lugares abriram e eu adicionei alguns deles à rota. Também aprendi a importância de enviar um lembrete aos participantes no dia anterior ao passeio, reiterando a hora e o local de partida.

O que você sabe agora que você gostaria de saber quando começou a guiar?

No início, eu esperava ter principalmente visitantes de fora da cidade. Eu guiei visitantes de todo o mundo viajantes que queria mergulhar em um bairro menos turístico, um lugar onde os moradores locais vivem, se divertem e, principalmente, comem. Mas fiquei surpresa com a quantidade de moradores locais que se inscreveram porque queriam aprender mais sobre a história e a arquitetura da cidade. Além disso, guiei pessoas de comunidades dos arredores de São Francisco, ansiosas por experimentar um bairro através dos olhos de alguém do local. Outro grupo que me surpreendeu foi o de moradores da vizinhança, que me puxavam para o lado durante o passeio para me dizer o quanto eles estavam orgulhosos de ver gente de fora curtindo seus lugares preferidos.

Algo que pra mim tem sido particularmente gratificante é ouvir os participantes dizerem que voltaram aos lugares que visitamos. Uma tarde, estava guiando o passeio e encontrei um homem que tinha participado do meu passeio seis meses antes. Ele mora no bairro, mas nunca tinha se aventurado no mercado que visitamos no passeio. Agora, ele vai lá o tempo todo. Uma visitante de Nova York me disse que, sempre que ela vem a SF para visitar seu filho adulto, ela sabe aonde ir para comer os melhores croissants, comprar os melhores utensílios domésticos e assim por diante. Um participante da China me contou como ele recriou o passeio para sua filha adolescente.