No início de junho, nós anunciamos que faríamos uma análise de cada aspecto da plataforma do Airbnb para ajudar a garantir que estamos fazendo o máximo possível para combater o preconceito e a discriminação. Pedimos para a Laura Murphy, antiga chefe do Gabinete Legislativo do Sindicato de Liberdades Civis Americano em Washington D.C., liderar o processo.

Durante a nossa análise, voltamos nossa atenção para cada detalhe do Airbnb e buscamos conselhos de especialistas, como o antigo Procurador-Geral dos Estados Unidos, Eric Holder, e dezenas de líderes de diferentes organizações.

Hoje, a Laura divulgou um relatório completo descrevendo o processo de análise e algumas das medidas que o Airbnb está tomando para deixar a nossa comunidade justa para todos. Você pode ler o relatório Airbnb’s Work To Fight Discrimination and Build Inclusion*, disponível apenas em inglês, aqui.

Brian Chesky, cofundador e CEO do Airbnb, enviou um email aos anfitriões e hóspedes do Airbnb resumindo esses esforços. Leia a mensagem dele a seguir.

Querida comunidade do Airbnb,

Nossa missão fundamenta-se na ideia de que as pessoas são essencialmente boas e que uma comunidade é um lugar onde você possa se sentir em casa. Não dizemos isso para parecermos bonzinhos. Todos no Airbnb trabalham para alcançar esse objetivo todos os dias, porque todos nós sabemos como viver juntos nos ajuda a compreender melhor uns aos outros.

Discriminação é o oposto de pertencimento, e sua existência na nossa plataforma compromete essa missão fundamental. Não há espaço para preconceito e discriminação no Airbnb e temos tolerância zero para ambas. Infelizmente não temos sido rápidos o suficiente para lidar com esses problemas, motivo pelo qual peço desculpas a todos. Assumo toda a responsabilidade por qualquer dor ou frustração que isso tenha causado a membros da nossa sociedade. Além de corrigir essa situação, queremos dar o exemplo para outras empresas fazerem o mesmo.

Em junho, pedimos para a Laura Murphy, a antiga chefe do Gabinete Legislativo do Sindicato de Liberdades Civis Americano em Washington D.C., analisar cada aspecto da plataforma do Airbnb e determinar se estamos fazendo tudo o que podemos para combater preconceito e discriminação. Graças à liderança de Laura, hoje estamos divulgando um relatório que sintetiza os resultados desse processo. Você pode ler o relatório completo aqui, mas eu gostaria de destacar quatro mudanças que afetarão a forma como a nossa plataforma funciona:

Compromisso da Comunidade do Airbnb

A partir de 1º de novembro, todos que usarem o Airbnb deverão concordar com uma política de não discriminação mais robusta e detalhada. Não estamos pedindo para você simplesmente marcar um “check” em um longo documento legal. Estamos pedindo para que todos concordem com algo que estamos chamando de Compromisso da Comunidade do Airbnb, que diz o seguinte:

Nós acreditamos que independentemente de quem você seja, de onde venha ou para onde vá, você deve se sentir como parte da comunidade do Airbnb. Ao participar desta comunidade, você se compromete a tratar todos os outros membros da comunidade, independentemente de raça, religião, nacionalidade, deficiência, sexo, identidade de gênero, orientação sexual ou idade, com respeito e sem julgamento ou preconceito.

Portas Abertas

Iremos implementar uma nova política chamada Portas Abertas. A partir de 1º de outubro, se um hóspede em qualquer lugar do mundo sentir que sofreu qualquer tipo de discriminação que desrespeite a nossa política — seja tentando reservar um espaço, tendo uma reserva cancelada ou em qualquer outra interação com um anfitrião — encontraremos um lugar equivalente para esse hóspede ficar se existir um espaço disponível no Airbnb. Caso não exista, encontraremos uma acomodação alternativa para ele em outro lugar. Esse programa também será aplicado retroativamente a qualquer hóspede que tenha nos comunicado casos de discriminação no passado. Todos esses hóspedes receberão nossa assistência na hora de fazer a reserva de sua próxima viagem.

Reserva Instantânea

Aumentaremos a disponibilidade da Reserva Instantânea, recurso que permite que nossos anfitriões possam reservar suas casas imediatamente sem precisar aprovar cada hóspede individualmente. Como a Reserva Instantânea facilita o processo de reserva para todos, temos o objetivo de ter 1 milhão de espaços que possam ser reservados através da Reserva Instantânea até 1º de janeiro de 2017.

Treinamento anti-preconceito

Estamos trabalhando junto com especialistas em preconceito, incluindo o Dr. Robert Livingston da Harvard Kennedy School of Government e o Dr. Peter Glick da Lawrence University, para que nossa comunidade tenha acesso a um treinamento anti-preconceito, e reconheceremos publicamente aqueles que completarem o treinamento.

Estamos longe de terminar esse trabalho. Esses são apenas nossos primeiros esforços no combate ao preconceito e discriminação.

Apesar de nós, como empresa, termos demorado para atacar este problema, agora estou pedindo à nossa comunidade para nos ajudar a seguir no caminho correto. Toda vez que você faz com que alguém se sinta em casa, essa pessoa se sente aceita e livre para ser ela mesma. Embora isso possa soar como um simples gesto de gentileza, somos uma comunidade enorme de milhões de pessoas. Imagine o que podemos fazer juntos.

Brian Chesky

CEO e cofundador

* O Trabalho do Airbnb para Combater Discriminação e Promover Inclusão