English  Español  中文 —  Deutsch  Français  Italiano — 日本語  한국어  русский  Português  Nederlands

Vimos de perto como os nossos anfitriões de maior sucesso facilitam a criação de laços e preparam os participantes para jornadas transformadoras. Se você não está familiarizado com a hospedagem de experiências, talvez queira alguma orientação para garantir que seus participantes se sintam acolhidos. As etapas abaixo foram seguidas por anfitriões bem-sucedidos para criar experiências mágicas. Elas podem lhe ajudar a cultivar uma sensação de segurança, de pertencimento e até mesmo de transformação para seus participantes além de trazer avaliações brilhantes de 5 estrelas e mais reservas para você!

As três etapas para criar uma jornada mágica para seus participantes

Etapa 1: uma base de confiança

Para criar um mundo ao qual todos possam pertencer genuinamente, é necessário ter uma base de confiança. Pense na última vez que você assistiu a uma aula, participou de um evento ou viajou sozinho. Você se lembra de se sentir um pouco ansioso? É natural sentir-se deslocado em um novo cenário ou ao aprender uma habilidade nova. Pode ser difícil envolver-se de corpo e alma quando você se sente vulnerável. O primeiro passo para liderar uma experiência bem-sucedida é garantir que os participantes se sintam seguros e confiem em você como anfitrião, criando a base para uma experiência de sucesso.

Amelia é a companheira perfeita para essa experiência. Ela é uma guia habilidosa, que explica e demonstra tudo para assegurar que você está confortável e se divertindo.
–  John, ao relatar suas impressões sobre a anfitriã da experiência Hollywood a cavalo.

Sentir-se visto pelo seu anfitrião pode ajudar os participantes a se sentirem seguros e a criarem uma relação de confiança. Memorize os nomes dos participantes e fale com eles frequentemente durante a jornada. Quando as outras pessoas sabem nosso nome, nos sentimos vistos. Cumprimente seus participantes pelo nome e pense em cada um deles como um amigo em potencial.

Dica rápida: antes de seus participantes chegarem, use o perfil deles para memorizar os nomes. Quando você cumprimentá-los pessoalmente, repita o nome deles para eles, para lhe ajudar a guardá-los na sua memória. Por exemplo: “muito obrigado por vir de Detroit, Julie, muito prazer.”

Outra maneira de fazer os participantes se sentirem vistos é manter contato visual com eles e dividir sua atenção igualmente entre eles. Às vezes, os participantes mais discretos precisam de mais atenção para que se sintam à vontade e acolhidos.

Não se esqueça de cumprimentar animadamente cada participante. Dê as boas-vindas a eles com um sorriso e a saudação mais comum em sua cultura, seja um aperto de mão, um abraço ou um beijo no rosto. Ao fazer isso, leve em conta as diferenças culturais em relação ao conforto com o contato físico; não force uma saudação com alguém se ela parecer pouco à vontade. Algo ainda mais importante é mostrar aos seus participantes que você está empolgado por vê-los e fazer com que eles se sintam genuinamente bem-vindos e especiais.

Apresente-se e mostre sua credibilidade desde o início. Uma ótima saudação pode criar um elo de confiança com seus participantes e deve responder à pergunta: “por que este anfitrião está preparado para me guiar nessa experiência?”. Conte sua história, enfatize sua paixão e suas habilidades especiais relacionadas à experiência e diga por que você decidiu guiar essa experiência.

Etapa 2: interações e descobertas

Você fez com que seus participantes se sentissem acolhidos, protegidos e agora eles estão preparados para participar plenamente das atividades que você planejou. Tente criar elementos que permitam aos participantes interagirem e aprenderem juntos.

Estimule a criação de elos entre os participantes. O tamanho reduzido do grupo é algo que diferencia as experiências do Airbnb, por isso, para criar uma sensação de pertencimento e garantir que todos se sintam bem-vindos e façam parte do grupo, incentive os participantes a interagirem entre si.

Para estabelecer uma base que facilite as conversas e as interações, considere a possibilidade de fazer algo para quebrar o gelo no início da experiência. Por exemplo, faça perguntas comuns e não intrusivas, às quais seus participantes ficarão felizes de responder. Confira aqui alguns exemplos:

  • Por que você escolheu essa experiência?
  • Se você pudesse trazer qualquer pessoa do mundo para essa experiência, quem você traria? Por quê?
  • Qual foi a última vez que você se dedicou inteiramente a aprender algo novo?
  • Qual é o lugar que você mais deseja conhecer e ainda não visitou?

Um momento de descontração como esse ajuda seus participantes a encontrarem elementos em comum e identificar tópicos para conversas prolongadas.

Crie um diálogo, não um monólogo. Para criar uma experiência inesquecível e fluida para seus participantes, elabore sua experiência de modo que eles participem ativamente e mergulhem em seu mundo. Trate-os como amigos e converse com eles.

Perguntas abertas encorajam a discussão; evite perguntas que podem ser respondidas com “sim” ou “não”. Junte os participantes em duplas e incentive-os a conversar sobre o que estão vivenciando.

Etapa 3: transformação pessoal

Uma experiência de 5 estrelas é aquela que possibilita a transformação dos seus participantes. Essa transformação pode ser uma nova sensação de conforto em sua cidade, um elo criado com outro participante (ou você!), ou uma nova habilidade que eles podem levar para casa. Esse crescimento fará com que sua experiência seja inesquecível, e são essas experiências memoráveis que recebem as melhores avaliações.

A hospitalidade está presente quando algo acontece para você. Está ausente quando algo acontece a você. Essas duas simples proposições –  “para” e “a” – expressam tudo. -Danny Meyer

Em vez de simplesmente demonstrar uma atividade, convide seus participantes para se juntarem a ela. Esse tipo de aprendizagem ativa faz com que eles se sintam fortalecidos e encoraja uma conexão mais profunda com sua experiência. Se você está ensinando uma habilidade difícil, recomendamos que divida a tarefa em partes pequenas e permita que seu participantes pratiquem, mesmo que aos poucos. Se você estiver fazendo um passeio, peça a opinião de seus participantes sobre as histórias contadas ou os pontos turísticos visitados.

Seus participantes podem estar tão imersos em sua experiência que talvez nem percebam como a perspectiva deles mudou. Perto do final de sua experiência, crie um momento que permita que os participantes reflitam e compartilhem como se sentem. Temos aqui algumas perguntas que você pode fazer aos participantes:

  • Como você se sente agora, em comparação com o início da experiência?
  • Que aprendizado eles compartilhariam com um amigo sobre essa experiência?
  • Eles se surpreenderam com alguma outra coisa?

Desde que Brian e Joe, dois dos fundadores do Airbnb, lançaram a plataforma e se tornaram os primeiros anfitriões há mais de dez anos, nossos anfitriões atenciosos têm sido o coração do Airbnb. Nos inspiramos com o modo como os anfitriões convidam os hóspedes para compartilharem sua paixão e sua comunidade. Eles criam experiências mágicas que dão vida à missão do Airbnb, ajudando todas as pessoas a se sentirem em casa onde quer que elas estejam.

Não vemos a hora de saber como os anfitriões continuam enfrentando esses desafios e criam maneiras inovadoras de ajudar os hóspedes a se sentirem seguros, conectados e inspirados. Se você for bem-sucedido nessas áreas, vamos adorar ouvir o que você tem a dizer e compartilhar com a comunidade. Envie suas dicas aqui!